Fátima Marques — ARTIST






Fátima Marques

Entrevista com a artista Fátima Marques –

 

1. Fale um pouco sobre você. 
Fatima Marques nasceu em São Paulo (SP)Brasil em 1956 e é formada em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo, tendo atuado como Executiva de Marketing em grandes empresas multinacionais, por mais de 30 anos.
Mais tarde fiquei fascinada pelo mundo das artes, especialmente pela técnica de grandes mestres da pintura à óleo da Renascença e pelo estilo Surrealista. Ao longo dos anos, adquiri  meus conhecimentos através de viagens internacionais, cursos de história da arte e em ateliê de pintura, onde pude aprimorar o desenho, as técnicas e a criatividade. Apesar da minha formação e carreira terem sido na área de Administração de Empresas, nunca deixei de pintar.

 

“Rien Sera Comme Avant”

 

2. Por que a arte? 
​Primeiramente porque, graças a Deus, nasci com o dom natural para o desenho, assim como meu pai português que era marceneiro e eu apreciava vê-lo desenhando móveis. Em segundo lugar, ​pintar me leva a um estado de meditação, uma forma de tranquilizar minha mente e meus pensamentos no aqui e no agora. E isso, sob meu ponto de vista, é estar num estado de felicidade, que só a pintura me proporciona. Portanto, gosto desta definição de arte: “Arte é a atividade humana ligada a manifestações de ordem estética, feita por artistas a partir de percepção, emoções e ideias, com o objetivo de estimular esse interesse de consciência em um ou mais espectadores, e cada obra de arte possui um significado único e diferente.” ​A arte é atualmente para mim, minha forma mais direta de comunicação, sem utilizar palavras…

 

“Reflexóes”

 

3. Qual é a sua lembrança mais antiga de querer ser uma artista? 
Desde pequena adorava as aulas de artes na escola e gostava muito de desenhar. Por esse motivo, na época de decidir qual faculdade cursar, pensei em Arquitetura, mas finalmente me decidi por Administração de empresas. Naquela época, não tinha por objetivo me tornar uma artista plástica  profissional. A vontade de ser uma artista plástica veio em 2005, depois de ter participado de salões e exposições coletivas, com incentivo de amigos e família, que me diziam que eu tinha um trabalho muito bom, seja do ponto de visa criativo como técnico. A partir daí, mesmo ainda como executiva de mercado, comecei efetivamente a investir na minha potencial carreira de artista plástica, visando fazer dela uma profissão no futuro.

4. Quais são seus temas favoritos? E quais materiais utiliza? 
Temática do feminino, tentando mostrar a dualidade da alma feminina. Trata-se, para mim, de uma visão poética sobre o feminino. Gosto de contextualizar situações e locais brincando com cenas e locais do passado e do presente. A água (que para mim transmite emoções) é outro elemento muito presente em minhas composições.

​Meu trabalho é sempre óleo s/ tela. A tela é sempre trabalhada com massa e tinta acrílica (afim de dar a textura peculiar aos fundos das minhas obras).

 

“Pura Meditação”

 

5. Como você trabalha e aborda o tema  de suas obras? 
Considero meu  estilo  Figurativo Contemporâneo, com técnica clássica realista de pintura à óleo sobre tela e uma temática que defino como ” Realismo Fantástico” e que transita entre o Clássico e o Contemporâneo. Meu objetivo é“conversar” como expectador, através de  situações que transitam entre o universo do antigo e do atual  ou entre o universo do interior e exterior, através de figuras atemporais, emoções surreais e por vezes poéticas.
Portanto, considero que meu trabalho está intrinsecamente associado ao “sentir” e é de inspiração marcadamente poética.

6. Algum artista te inspira? 
Meu trabalho é fortemente influenciado tanto pelos pintores  Renascentistas e Barrocos, tais como Rafael, Leonardo da Vinci e Caravaggio (quanto à técnica), como pelos pintores Contemporâneos (quanto a estilo) tais como  Salvador Dali, Carlos Araujo, Sérgio Ferro, Pierre-Jean Couarraze, Roger Suraud, Vito Campanella, dentre outros. Foi os observando e estudando, que cheguei a minha técnica pictórica e ao meu estilo criativo.

 

“Narcisse”

 

7. Quais são as melhores respostas que você teve ao seu trabalho? 
Desde 2005 tenho apresentado profissionalmente meu trabalho em Exposições Coletivas pelo Brasil e exterior, com inúmeras premiações.  Participo e divulgo meu trabalho através de Galerias  ; tenho obras catalogadas em publicações de arte no Brasil, EUA e Europa; tenho obras em acervos particulares no Brasil e Europa. Claro que tenho recebido muitos elogios ao meu trabalho, tanto no que tange a técnica como a criatividade, porém para mim as melhores respostas são as premiações recebidas; as obras em acervos particulares e em publicações aqui no Brasil como no exterior. Participei, em jan./2018, da XII Biennale d´Arte Internazionale di Roma, tendo sido premiada com o 2º lugar da Bienal – categoria Pintura.

 

“Inocência”

 

8. O que você mais gosta sobre em seu trabalho? 
Gosto de transmitir emoções, sentimentos e questionamentos através do meu trabalho e por isso, ele é vivo… não é uma natureza morta.
Gosto que o expectador vá aos poucos descobrindo os detalhes, as minúcias criativas das estórias que crio e tento transmitir em minhas pinturas.

9. Quais as suas principais participações em exposições? As 5 principais e mais recentes. 
Minhas principais participações em Exposições foram:
* Paris /França (na Société Nationale des Beaux Arts de Paris –2012 e no Carrousel du Louvre – 2018);
* EUA (na Sede da ONU em New York- 2013; em Los Angeles no Consulado Brasileiro- 2018 e na Art Expo New York – 2018);
* Portugal (na Prefeitura na cidade de Castelo de Vide – 2018);
* Itália (em  Galeria de  Milão -2011; em Prefeitura de Padova- 2016;
*Em Villa D`Este em Tívoli- 2016 e na XII Bienal de Roma -2018).
*Apresentei minha primeira Exposição Individual ”Metáforas de Sentimentos” em ago. /2017 -São Paulo, Galeria Spazio Surreale .
*E como disse acima, participei, em jan./2018, da XII Biennale d´Arte Internazionale di Roma, tendo sido premiada com o 2º lugar da Bienal – categoria Pintura.

 

“Interior Exterior”

 

10. Que conselho você daria para outros artistas ou futuros artistas?
Não acredito em sucesso fácil, principalmente no mundo da arte e tendo em vista o momento econômico brasileiro. Infelizmente na atualidade, pouco se investe no artista. Pelo contrário, o que mais se encontra são Galerias e curadores tirando dinheiro do artista para participar de exposições onde os colecionadores/apreciadores de arte não aparecem…
Apesar de tudo isso, se esta for sua vocação, meu conselho é que o artista procure ter uma profissão fixa, num primeiro momento, para financiar sua produção artística e visibilidade necessárias nesse mundo da arte. Estudar sempre (história da Arte, técnicas de desenho e pintura), visitar museus e claro, se possível viajar para adquirir conhecimento são muito importantes. Finalmente  muita paciência e cuidado com o Ego…

 

“Infinito Ser”

 

11. Onde você se vê daqui a 05/10 anos? 
Neste momento, além de estar produzindo intensamente, já que me aposentei ano passado das minhas atividades como Administradora de Empresas, estou investindo muito, inclusive financeiramente, em obter mais visibilidade ao meu trabalho, seja no Brasil , como no exterior. Meu objetivo em 5/10 anos é obter o reconhecimento de apreciadores/admiradores de arte, assim como dos colecionadores e compradores de arte.

 

“Dreams”

 

12. Planos para o futuro. 
Espero com isso obter bons resultados a médio e longo prazo. Meu plano para o futuro é ter meu trabalho reconhecido em acervos de museus; em Bienais; na SP Arte; Galerias de Arte de renome internacional.
Tenho trabalhado e investido muito no sentido de buscar reconhecimento não sómente no Brasil, como na Europa, sobretudo na Itália, Portugal, França e Espanha.

 

 

Fátima Marques

LINKS —

Website:  www.fatimamarques.com
Facebook:  facebook.com/famarques29
Instagran:  @famarques_art

 

 

 

Edmundo Cavalcanti

Edmundo Cavalcanti

 

Edmundo Cavalcanti é nosso colunista de artes para Arts Illustrated em São Paulo, Brasil.