Edmundo Cavalcanti – Escritor






Edmundo Cavalcanti

Edmundo Cavalcanti

 

Entrevista com o escritor Edmundo Cavalcanti – 

“O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.”
— Fernando Pessoa

1. Quem é você e o que você faz?
Eu nasci em São Paulo/SP-Brasil, sou administrador de empresas, formado pela ESAN-Escola Superior de Administração de Negócios, atualmente aposentado, trabalhei muitos anos em diversas empresas de Construção Civil na área de Suprimentos.

 

“Artista e poeta”

Todo artista é um poeta
É só achar a palavra certa.
Ai, ele encontra a porta aberta.
Olhe para a sua obra, suas formas, suas cores.
Pense em seus amores, suas decepções, coloque nela.
Suas mais obscuras e lindas emoções.
As palavras fluem sozinhas, sem regras ortográficas, até complexas.
Nem rimas, convencionais.
É muito simples.
Só escrevam, as rimas saem naturalmente.
Experiente.
Por vezes uma obra, só é completada com uma poesia ou poema.
Sei lá.
Pode ser um quadro, uma fotografia, uma instalação.
Ou simplesmente um borrão.
Tente, não tenha medo não.
Autor: Edmundo Cavalcanti

Edmundo Cavalcanti

Edmundo Cavalcanti

 

2. Por que escrever?
A escrita surgiu em minha vida, em função de meus desenhos e pinturas. Todo desenho ou pintura que criava eu sentia necessidade de escrever alguma coisa que relativa a aquele trabalho.Inicialmente eu me utilizava de uma pesquisa no Google,utilizei algumas frases ou mesmo poesias de diversos autores.Chegou um momento que percebi que eu mesmo poderia escrever algo que simbolizasse o meu trabalho.Acabou dando certo e assim as poesias foram surgindo naturalmente até hoje.Hoje já tenho cerca de 500 poesias escritas com os mais diversos temas.

 

“Demência”

Sentir teu perfume, o calor do teu corpo.
Sua voz sussurrar em meu ouvido, palavras e juras de amor.
Suas mãos por todo o meu corpo deslizar, coisas imagináveis começo a pensar.
Começo então a delirar, o corpo inteiro transpirar.
Demência total, loucura, carinhos, muitos beijos com você trocar.
Beijar teu corpo inteiro, até o ultimo fio de cabelo.
Que coisa mais maluca, insana.
Preciso acordar e colocar os pés no chão, isso não é amor, é paixão.
Autor: Edmundo Cavalcanti
“Sou poeta”
Sou um homem romântico
Sim, sou poeta.
Tenho minha mente e alma aberta.
Escrevo o que meu coração sente
Escrevo os amores e também as dores
Que estão dentro da gente.
Coloco no papel, os meus e os seus sentimentos.
Por vezes, não encontro uma rima.
Mas fico tranquilo, daqui a pouco, ela vem lá de cima.
Ficamos mais leves e felizes, quanto conseguimos.
Falar para alguém o que estamos sentindo
Uma grande paixão ou uma desilusão.
Vou continuar fazendo poesias
Até o ultimo dos meus dias.
Nossa como isso me alivia.
Minha alma cria.
Autor: Edmundo Cavalcanti

 

3. Qual é a sua lembrança mais antiga de querer ser um escritor?
Nunca tive a pretensão de ser um escritor,pintor,nem mesmo um poeta ou colunista de artes, mas o dia a dia me conduziu a este caminho, que hoje considero como um hobby, assim como as pinturas e desenhos. Descobri este dom,desenhos e pintura fazem somente 5 anos.

4. Quais são seu assunto favorito (s) e estilo (s)?
Não existe assunto, tema favorito ou estilo, escrevo o que estou sentindo no momento.

 

“Tu és flor mulher”

Tu és entre todas as flores
A mais bela de todas elas.

Suas cores espalham muita energia
Seu perfume inebriante a todos, contagia.
E deixa pelo ar muito amor e alegria.

Pouco importa se és uma rosa, violeta.
Hortência, Lis, Flora ou Jasmim.
Linda e bela.

Delicadeza define o teu ser.
Maravilha divina dos jardins da vida.
Tu és flor-mulher.
Possuis o dom do encanto,

A firmeza de uma guerreira.
Queria estar sob o seu manto,
No meu coração já és a primeira.
Irei amar-te a vida inteira.
Autor: Edmundo Cavalcanti

 

5. Como é que você trabalha e aborda o seu assunto?
Não existe uma elaboração prévia do que irei escrever as frases para compor uma poesia surgem naturalmente e procuro manter uma coerência nas rimas e no resultado final. As minhas poesias podem surgir em função de um sentimento meu, um estado de espírito, um tema de algum evento ou uma palavra ou frase que ouço imediatamente a poesia vai fluindo. Algo inexplicável. É uma sensação muito estranha, mas muito gostosa, principalmente ao ver a poesia finalizada.

 

“Fui até a lua”

Esculpir teu corpo
Toda nua.
Livre de preconceitos
De lembranças do passado.
Sem saber como amar direito
Caminhei pelas estrelas.
Fui uma a uma, a te procurar.
Encontrei-te, em uma mais.
Brilhante, radiante, sozinha.
Perdida em seus, sentimentos.
Dei-te, minha mão.
Mostrei o caminho.
Caminho fácil de achar
Deixe seu coração
Guiar-te.
Autor: Edmundo Cavalcanti

 

6. Quais são as suas obras favoritas escritas, escritores?
Não tenho preferência por alguma obra em especial, ou seja, várias poesias de autores, como o exemplo posso citar Pablo Neruda, Cecília Meirelles, Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector e vários outros.

7. Quais são as melhores respostas que você teve ao seu trabalho?
Sinto-me gratificado ao ver que minhas poesias, são apreciadas e elogiadas quando as coloco nas redes sociais ou declamo em algum Sarau Literário. Mas a melhor resposta que tenho é a minha satisfação e alegria ao lê-las para mim mesmo.

 

Edmundo Cavalcanti 2

Edmundo Cavalcanti

 

8. O que você gosta sobre o seu trabalho?
É perceber que consigo expressar em palavras escritas o que meu coração esta sentindo naquele exato momento, expressando todos meus sentimentos quer sejam bons, maus, incoerentes ou inconsequentes. Mas quase sempre são lúcidos, pois sou muito romântico e um eterno apaixonado pela vida.

 

“Mar de rosas”

Em um mar de rosas
Eu queria contigo, navegar.
Doces palavras
Em teus ouvidos, falar.
Nossos corações incendiar
Ver aquela velha chama reacender
Nosso amor aquecer.
Iluminar esse caminho
Cheio de carinho.
Um caminho, perdido.
Pelo tempo esquecido.
Coração, machucado, mutilado.
Com medo de novamente, de amar.
E ser amado.
Autor: Edmundo Cavalcanti

 

9. Que conselho você daria para outros escritores?
Quem sou eu para dar conselhos, mas se pudesse, diria para que escrevam tudo que o seu coração mandar ou sua imaginação criar, sem a preocupação de criticas externas. Também ler bastante, diversos títulos de diversos autores e variados temas.

10. Seus planos para o futuro.
Continuar escrevendo e quem sabe um dia publicar um livro.

 

Edmundo Cavalcanti

Edmundo Cavalcanti

 

 

 

LINKS —

Facebook:  https://www.facebook.com/edmundo.cavalcanti?fref=ts
Twitter:  https://twitter.com/edcavalc
Blog:  http://artesdeedmundocavalcanti.blogspot.com/